30 de abril de 2008

EL LOBO MARIACHI


Quando cheguei nesta terra desconhecida com uma palheta na boca e um violão nas costas, mal sabia o que me esperava. Carregava comigo minha mochila cheia de sonhos e coletava pesadelos pelo caminho. 

Minha viajem sem rumo tinha chegado ao fim...

Até hoje me perguntam quem sou. Não sei responder ao certo. Sou o mesmo lobo solitário que chegou anos atrás ferido, sem memória e sem passado.
O que passou não deveria ser mistério, tudo faz parte de nosso crescimento e destino. O meu foi de ser um cavaleiro errante.

O passado é como um corpo sem vida, se não ficar enterrado irá cheirar mal e definhar ao seu lado. O que eu passei em minha viagem não melindra minhas atitudes, só faço mal a mim mesmo.

Enquanto isso, neste belo dia de sol, verde e vento fresco, debaixo de uma árvore me repouso tocando meu violão. Minha mochila pesa, afinal de contas, pesadelos são devoradores de sonhos...


- Vinicius Neves
Postar um comentário