20 de abril de 2008

ROSAS PELO CAMINHO


Eu acordo e vejo o mundo ainda em sono profundo, por mais que eu tente acordá-los; seus corações pesam demais para que se levantem.
Enquanto todos se misturam à lama e imundice de toda a humanidade, o máximo que sabem fazer é reclamar de sua triste situação. Outros já se habituaram a atrofiar seus ossos nesta lama escura.
Será que será necessário a minha morte para que as pessoas escutem minhas palavras, para que escutem o que estou tentando dizer? Que a vida nunca terá mesmo sentido nem razão se olharmos só para nós mesmos; a vida são os outros, somos nós, somos o todo, a vida não é algo pequeno que limite-se apenas a um indivíduo; é algo grande que estende-se até os confins da Terra, e quem sabe, até mais além.
Andar sozinho nesta estrada só nos levará a um beco sem saída.
Andar sozinho nesta estrada só nos levará a outra estrada perdida.
Andar chutando os corações pelo caminho.
Andar pisando nas flores, só notando os espinhos.
Andar olhando para baixo, sem notar o seu vizinho.
Andar sujo, andar sem rumo, andar sozinho.
Será que é tão difícil entender que você é eu, e eu sou você?


- Vinicius Neves
Postar um comentário