28 de maio de 2008

MINHA MALDIÇÃO, MINHA VIDA



É esta a distância que leva minha maldição
Seguindo a estrada da doce solidão
Tem um sorriso que é um doce
Ela não iria me amar se eu não fosse
Me abraça, me acaricia
Olha em meus olhos, ouve minha poesia
O coração impede
O que a gente pede
Sempre me perguntei a quem vou amar
Em que dia, em que hora e qual o lugar
Será que essa é minha maldição?
Tem que ver, ter que ouvir a voz do coração?
Me lembro vagamente quando te vi
Dei um sorriso, boa noite, caminhei e sumi
De que adianta seguir em frente e o coração olhar pra trás?
Se a vida não sou eu, mas sim, Deus que faz.






- Vinicius Neves
Postar um comentário