9 de agosto de 2008

ZUMBIS E MARIONETES DA FUTILIDADE



Sempre esperamos por uma mensagem divina que venha a nós como resposta, algo que seja inquestionavelmente um sinal divino. Pra que? Para fundarmos nossas ações, nossos pensamentos, nossas vontades e tudo aquilo que nos interessa e que temos vontade de fazer.
Óbvio, isso não acontece (ao menos não com frequência).
Porque na verdade, quem espera mesmo um sinal é o próprio Deus; espera um sinal de ação nossa. Ele não espera que nós sejamos impulsionados pelo sobrenatural para ter que fazer alguma coisa, Ele quer ver até onde a gente pode, até onde temos forças pra lutar, até onde podemos nos mostrar capazes e dignos da ação Dele.
Muito fácil falar "Deus, minha vida está uma merda, concerta ela por favor.", se nós fossemos Deus, aceitariamos um pedido desses? Às vezes nem temos problemas tão grandes assim, mas somos tão cegos e afundados no nosso mundinho que uma goteira de problema é uma enchente em nossas vidas, e somos acomodados a sempre ter alguem pra arrumar as coisas para nós; amigos fiéis, pais, mães, irmãos, etc; e quando aparece algo que a gente não quer expor para eles nós apelamos para Deus! Imaginem nós mesmos como pessoas que podem ajudar as pessoas, mas que ninguem nunca nem lembra de nós, só lembram quando precisam de ajuda e não tem mais a quem recorrer. É degradante, é angustiante, é EGOÍSTA!
Todos os dias vemos atrocidades nos jornais, na internet, na boca do povo, e falamos "meu Deus, que horrível!", e fica por isso mesmo. Claro, dessa forma vamos mostrar que nos importamos, quando na verdade não estamos nem aí. Prefiro mil vezes que alguém fale "E daí?" com sinceridade do que fingir que se importa.
Se hoje há tantos problemas, tantas dificuldades, simplesmente vemos como culpados os outros. Somos sempre senhores da verdade e que se todos entendessem o que pensamos, o mundo seria bem melhor. Claro. Somos mesmo egoístas a esse ponto. Afinal de contas, deveríamos estar sentados ao lado de Deus para aconselha-lo a governar o universo.
Nos fazer vivos e preocupados com palavras vazias nos faz sermos zumbis ou marionetes de nossas futilidades.
Aí depois de um tempo morremos, e a preço de quê!? A sermos mais um peso morto que só fez número no mundo e entrou para as estatísticas dos acidentes, dos latrocínios e das doenças?
Que vivamos pelo mundo inteiro, não só pelo ser único e egoísta que somos! Deixar nossa marca aqui é deixarmos uma marca para as gerações futuras. Morreremos na carne, mas viveremos nos espíritos futuros de quem acreditar em nossos pensamentos e ações!
Enquanto eu viver serei jovem, depois disso já não é mais comigo. Sou imortal até que me provem o contrário.





- Vinicius Neves
Postar um comentário