5 de janeiro de 2009

A ESTRADA QUE FOI ENGOLIDA PELO MAR



O vento no rosto é a primeira sensação de liberdade
É o vento que bate em nossas asas, nos fazendo voar de verdade
O sol se esconde no horizonte e o vento o segue
Do outro lado da estrada há um mar que vai até onde consegue que o vento o leve
A areia cruza meu caminho levemente
O mar derrama-se na praia tranquilamente
Aqui não há pressa; nem de correr e nem de voar
Há somente uma tranquilidade que nada possa atrapalhar
Converso com Deus em silêncio esperando Ele responder
Que minha tranquilidade aqui é muito boa, mas seria melhor se fosse com você.

- Vinicius Neves
Postar um comentário