25 de dezembro de 2009

SOU DE BARRO


Não é meu material que me faz valioso, e sim a minha forma e arte que tenho impresso em mim.
Eu poderia ser de ouro, mas o ouro é supervalorizado, perde-se o valor da obra, olha-se para o valor comercial, mede-se pelo peso.
Eu poderia ser de madeira, mas a madeira depois de utilizada perde a utilização. Se algo acontece a ela, vira algo sem valor.
Eu poderia ser de pedra. Mas qualquer pedra é rígida o suficiente para se quebrar e nunca mais tornar a ter a mesma beleza. Pedras não mudam, não evoluem.
Mas eu sou de barro. Tenho a natureza simples. Vim do pó e um dia ao pó retornarei. Mas sou arte, sou flexível, nas mãos de Deus eu posso ser moldado.
Nas mãos do Oleiro posso renascer, mudar, evoluir; mesmo que eu quebre muitas vezes.
Ele é quem me transforma e me molda a cada dia para ser mais e mais como os sonhos Dele.
Pois sendo assim, Ele sopra em minha humilde e perecível forma a vida que seria impossível obter sem a perícia de quem muda rumos e o amor de quem cria uma obra de arte.


- Vinicius Neves
Postar um comentário