14 de janeiro de 2011

A VINGANÇA DO JACK


Mais um dia eu acendo a dor que se acumula em minha alma
Perguntando-me até quando os açoites da amargura e da decepção irão me torturar
Será que vale a pena me salvar?
Uma alma marcada para sempre pelo fogo que consome vidas
Os gritos do Jack explodem por dentro
Dilacera meu coração como um lobo selvagem
Ele quer sumir
Ele nunca mais quer aparecer
Mas ele não consegue
É como tentar voar com as asas atrofiadas
É como tentar apagar um incêndio com álcool
Será que vale a pena me salvar?
Os risos e os sorrisos macabros caçoam do pobre ser que um dia se julgou capaz de ser feliz
Como é essa tal felicidade?
Nunca as mãos tocaram, nem os lábios beijaram
Rápido, me mostre como é
Antes que eu me perca para sempre
Me liberte desta prisão que é ser eu
Há tanto para mostrar, mas ninguém para querer ver
Eu traio a mim mesmo a cada manhã, negando toda a parte obscura que há em mim
Todo o sangue que ferve
Todo músculo que treme
Todo osso que tem sede de carne
É tudo a vingança do Jack
É tudo que os olhos dele vêem, além do vermelho e da escuridão.
Será que vale a pena me salvar?


- Vinicius Neves
Postar um comentário