10 de maio de 2012

CORAÇÃO RASGADO NO MEIO


Se há quem queira saber da verdade
Verdade que aparece a cada traço de saudade
Saudade essa que vem a cada lembrança
Lembrança essa que perdeu qualquer traço de esperança

O coração bate forte e em seguida pára o tempo
É isso que sinto quando os olhos são transportados para outro momento
Uma agulha de largura desproporcional que injeta decepção
Ela se espalha por todo o peito, faz gelar a emoção

A cabeça lateja, o corpo insiste em perder o rumo
As pernas vacilam embora os joelhos peçam paz em sumo
Na maior parte do tempo os dentes não se apertam
Cada um suporta o peso do outro e juntos se acertam

Respeite meu coração
Respeite meu luto

Trago no tempo o poder de guiar minha ansiedade
Leva tempo para um coração rasgado no meio encontrar prosperidade
Retalhos soltos de uma colcha de um quarto de século
Procurando a cama de um outro quarto para aquecer seu desejo supérfluo

Os estigmas dos pensamentos são mais profundos
Antes de morrer eram certezas de ideais oriundos
Gravados nas paredes da alma como marcas obtusas
Como rochas que a água escava por onde eram rachaduras

Me afundando em meus próprios pensamentos
Acorrentando todos os tipos de sentimentos
Se contenham e aproveitem o banquete que a vida nos trás
Sempre esperamos que seja algo saboroso, mas às vezes é amargo demais.


- Vinicius Neves
Postar um comentário