25 de maio de 2012

A MÁSCARA DO LOBO


Hoje em dia a pele de cordeiro evoluiu, agora podemos ver a camuflagem dos lobos desde marcas de grife, paletó e gravata até mesmo em um sorriso amigável, um abraço, uma pessoa preocupada.
Sei que é de senso comum saber disso, mas não custa nada reforçar que lobos sempre existiram entre os cordeiros.

Para que os lobos se infiltram no meio dos cordeiros? Hoje em dia o interesse pelo próprio enriquecimento é uma grande venda nos olhos e sentimentos das pessoas, sendo assim elas se infiltram em grupos organizados (ou às vezes nem tanto) para ganhar satisfação financeira ou até mesmo conseguir aquela inflada de ego.

Ninguém está a salvo desse tipo de pessoa em nossos grupos sociais. Às vezes a pessoa é um lobo e ela mesmo não sabe.
Uma coisa é certa: uma boa árvore se conhece pelos frutos. O lobo não trás evolução para os outros - busca sempre que ele saia como o maior beneficiado, puxa o reconhecimento da conquistas dos outros para si. Até demonstra ajudar os outros - mas deixando bem claro para todos que foi ELE quem ajudou. No final das contas, na hora de passar a régua, o saldo positivo fica só com ele e os outros que são "ajudados" acabam sendo apagados, e geralmente não crescem muita coisa. Quando seus planos falham, fazem de tudo para culpar alguém - geralmente uma pessoa próxima - pois é mais fácil passar a culpa do que assumi-la.

Vamos analisar a simbologia que é usar o termo "lobo em pele de cordeiro":
Lobos geralmente se alimentam de cordeiros, ovelhas e animais mais indefesos.
Cordeiros sempre significaram pureza e inocência.
Lobos sempre significaram astúcia e ferocidade.
Então é evidente que um lobo com pele de cordeiro não teria outra função a não ser se alimentar secretamente dos pobres animaizinhos sem que eles desconfiem que entre eles há um falsário, um enganador, um manipulador.

A máscara do lobo parece impossível de ser retirada, impossível de cair. Mas ele é tão confiante em si mesmo, acredita ser tão auto-suficiente que com o tempo vai deixando pistas de sua presença. E a verdade nunca fica oculta por muito tempo. Impossível mesmo é alguém sair despercebido estando com objetivos diferentes e próprios entre pessoas que tem objetivos em comum.

Mas nenhum erro do lobo é maior que o próprio ego inflado, crendo que nunca ninguém irá notá-lo, que sua inteligência sobressai de todos os outros. Porque é fácil acreditar nisso enquanto se esconde na escuridão por trás de máscaras, mentiras e manipulações entre cordeiros que não tem ou nunca tiveram maldade no coração.
É aí que entra outro personagem: a ovelha negra. E quando uso esse termo, falo daquela pessoa que já teve seus erros, suas falhas, seus problemas e etc. Esses tipos de vivências nunca serão apagadas de sua história, mas nem por isso ela deixa de ser ovelha também.

O erro do lobo mau é ignorar a malandragem da ovelha negra.

A ovelha negra - diferente dos cordeiros e ovelhas comuns - já teve maldade no coração e vê todas as situações de um ângulo diferente e talvez até único.
Em suas mãos, o lobo pode acabar se tornando um vira-latas sarnento; porque diferente dele, a ovelha negra não confia plenamente nos seus atributos, ele sabe que é falho, que não está acima de nenhum outro, e sabe até onde o coração dos perversos pode levá-los. Então é sempre precavido e desconfiado.

Sem contar também que todo bom pastor reconhece suas ovelhas.

Mas no final das contas a única coisa que acaba prevalecendo sobre tudo isso é a vontade de Deus. Ele não tolera mentira. Por isso essa não consegue se esconder por muito tempo.

O caminho da vida é longo e cheio de tropeços. Convenhamos que não é o lugar mais adequado para a mentira: todos sabem que ela tem perna curta.


- Vinicius Neves
Postar um comentário