27 de fevereiro de 2013

OVERDOSE


Eu estava caminhando sozinho quando você passou e me ofereceu carona.
Seguíamos adiante e você me ofereceu uma dose de você mesma.
Os efeitos colaterais vieram a seguir: fiquei eufórico, eu tinha fome, mas agora já não tinha mais.
Desci perto de uma estreita estrada que ia por um caminho silencioso e solitário, me vi levado até o alto de uma montanha e de lá eu deveria pedir perdão de meus pecados.
Percebi que para me redimir eu deveria pular deste penhasco para ver até onde ele chegava.
Era fundo demais, meu coração queria sair pela boca, mas ele saiu pelo papel.
Chegando perto do fim fui desacelerando e vi que lá no fundo havia você novamente; me esperando deitada, olhando para cima, esperando eu cair do céu em seus braços. Mas eu nunca os larguei, minha vida sempre foi uma overdose de você.


- Vinicius Neves
Postar um comentário