8 de agosto de 2013

INFELIZMENTE SOU MAIS UM DEPENDENTE


Estou de saco cheio dessa vida virtual
Comprada pelo preço da privacidade como se fosse algo essencial
Somos convencidos de que nossas vidas pertencem a esse espaço
Criamos e nos juntamos a muitas redes, mas desvinculamos cada vez mais nossos laços

Infelizmente sou mais um dependente

Poderia trocar facilmente a imagem da seringa com agulha infincada nas veias por portas USB
Injetando Terabytes de informações que não posso conter
Poderia trocar, quem sabe, um amor de carne osso por um amor virtual
Desses que não aquecem o corpo, apenas se juntam às milhões de fotos de números que se denominam de forma generalizada como "Amigos" em meu mural

E por falar em muros, muros para que?
A informação é uma bagagem que não pode se conter.
Lemos, curtimos, compartilhamos, aprendemos, ensinamos, tudo ao mesmo tempo sem parar
Apenas esquecemos de nos informar aonde nosso coração pode descansar

Um frenesi da atualidade que arrebata nossa realidade

Me dando conta disso tudo, pensei que o que eu sentia era tristeza
Mas era apenas saudade, de uma normalidade antiga com bem menos frieza.


- Vinicius Neves
Postar um comentário