16 de dezembro de 2013

A PASSAGEM


Eis que o poeta se derrete à luz do dia
Ser que administra suas mais densas trevas com maestria
Que sonha em mudar o mundo se entregando de corpo e alma
Para ver que seus sonhos são passados a cada um que os observa com calma

Ir ao inferno ou aos céus no mesmo sentimento, na mesma frase
Fazer o que é fogo diminuir a chama, fazer com que o frio se abrase

O poeta é o maior dos amantes
Ama pessoas, sentimentos, palavras, consoantes
Se envolve com a vida, mas flerta com a morte
Soma de tudo, sem subtrair quase nada, até onde suporte

Pouco almeja, pouco deseja, muito anseia
Se ilude em seus próprios pensamentos como em um canto de sereia
Não vive de forma egoísta, integra o universo dentro de si
Suas muitas definições se acotovelarão para sempre ali

Que o futuro reserve um tempo de sossego, de liberdade
Também de desapego - e que tudo seja multiplicado com intensidade
Porque enquanto todos descansam seus corações ao anoitecer
O coração do poeta jamais deixou seu coração adormecer.


- Vinicius Neves
Postar um comentário