30 de abril de 2014

A PLENITUDE DO TEMPO


De vez em quando é necessário sair sozinho
Sentir o sol do fim de tarde aquecer nosso rosto como se fosse um doce afago da vida
Deixar que o vento percorra nossos dedos e sussurre em nossos ouvidos palavras de liberdade

O contraste das paisagens colorem a alma como uma obra surrealista
Entender que a vida é bem mais que os valores que estampam nossos dias, nos sufocando entre o cinza das cidades e o desejo de posses

O mundo não é de ninguém, mas é a melhor posse que podemos ter
Nós não podemos carrega-lo conosco, mas podemos ter um tempo nele, aproveitando o que é oferecido de bom

Assim como o céu, que nos ensina uma das maiores lições de tempo; muitas cores dividem o mesmo lugar, mas cada uma respeita o momento da outra, enquanto se despedem entre si com o abraço que transborda um espetáculo de cores diante de nossos olhos.


- Vinicius Neves
Postar um comentário