9 de junho de 2014

LENTA CANTORIA



Me dá aquele sorriso que arrebata meu pensar
Me traz aquela ansiedade de tentar parar de te olhar

Retiro do escuro de seus olhos a profundidade de um desejo
Não um desejo que qualquer outro poderia ter
É desejo de abraçar, de manter
De sentir o cheiro do cangote, de encaixar sua cabeça no meu ombro

Os olhares se encontram e os sorrisos se abrem
São como portas que se escancaram para uma festa
E a festa maior é a do peito, que acompanha num batuque danado
Do coração que festeja a chegada de um sentimento sarado

É balada de violão, poesia de cobertor
Verso de comunhão, dia quente com ventilador

Você é o complemento que minha poesia sempre precisou
A relevância que pegou de surpresa o coração e o apertou
A insegurança que assegura a verdade
A força que encontramos escondida no pior momento de dificuldade.


- Vinicius Neves
Postar um comentário