26 de outubro de 2015

PEDAÇOS DE ESTRELAS


Somos pedaços de estrelas no meio da multidão
Orbitando o vazio de nossas vidas em busca de redenção
Um aglomerado de seres que buscam sentido no infinito
Esquecendo sempre de como cada pequeno detalhe faz tudo mais bonito

Através do tempo reencontro o espaço que sobrou em mim
Descortinar das memórias que entram em um ciclo que não tem mais fim
Faço valer as palavras de não levar tudo exageradamente a sério - a princípio a ideia assusta
Se levo a sério integralmente meus problemas, a vida sempre parecerá injusta

Sendo de todas as batalhas que travo meu próprio arauto
Precisando de um pouco de autoajuda e muito mais ajuda do alto

Não existe nada mais notável do que dar valor ao que importa
Mesmo quando nos fecham as janelas, mesmo quando nos batem a porta
A gente se arrisca, se machuca, se entrega
Não se importa nas marcas que vão ficar, desconsidera alguma sequela

Hoje fui além disso e vi algo mais importante
Talvez um sonho acordado relutante, delirante, mas sempre inevitavelmente excitante

Acordei com o dia na temperatura que gosto e o céu cor de neve
Lembrando que não importa o tamanho das cicatrizes que acumulamos:
Nenhuma delas é maior do que somos em nossa pele.


- Vinicius Neves
Postar um comentário