1 de maio de 2018

REINVENÇÃO


Resiliente, em silêncio tento calar as vozes de dentro.

Ruim? Não mais. As correntes e o controle exercidos sobre a persona que insiste em se debater nos porões de minh'alma agora tornam-se costumeiras, habituais.

A voz que despendia rumo aos ouvidos alheios e atentos à notificações de uma revolução programada já se acalanta no externo e no íntimo, buscando uma metamorfose que transforme mais um ciclo de reinvenções ininterruptas - como sempre foi, como sempre será.

Nada mais há de ser dito, nada mais há de ser compartilhado. Ao menos por hora.
Em momento oportuno essa casca se abrirá e com ela a inundação de uma nova forma anseia por vir. Sim, mais uma.

O que há de ser, não há mente nesse universo que possa dizer.
Independente do que for; será o que deverá ser, terá seu papel de maior importância no caminho que ela proporcionar acontecer, o degrau que se tornará com o passar do tempo para que o viagem finalmente tenha seu rumo revelado.


- Vinicius Neves
Postar um comentário